Centro Comercial Porto GranPlaza-Porto

A implantação do edifício do centro comercial situa-se em pleno centro da cidade do Porto nomeadamente na rua Fernandes Tomás, substituindo um marco industrial na fabricação de tecidos “A Fábrica de Sedas José Francisco Nogueira”

A proposta para o interior do centro segue uma linha de pensamento voltado para uma intervenção de ruptura com os actuais e banais centros comerciais os quais seguem critérios que após um certo período de tempo não mostram nada mais do que estamos habituados a ver. A intenção de “intemporalidade” por nós assumida, remonta-nos a uma época que marcou um ponto charneira no “modus vivendi” do homem moderno. Falamos no período de transição dos anos 50 a 60 onde a vontade de criar e marcar diferença está aliada com o desenvolvimento da cidade funcionalista e mecanizada, onde o homem procurava a todo o momento acompanhar a máquina, onde muitas dessas vontades expressas vêem hoje a luz dia, logo, tornando-as intemporais. Actualmente vemos como essa época deixou marcas profundas na nossa sociedade, tanto na arquitectura onde observamos obras contemporâneas com claras influencias desses mesmos anos, assim como, na moda, no design gráfico e industrial onde constantemente estão a ser reproduzidos objectos que outrora foram réplicas, e estão agora perfeitamente contextualizados no nosso quotidiano pós-moderno.

Os pavimentos, tectos, paredes, sinalécticas e algum mobiliário foram desenhados e concebidos de forma a respeitar as premissas atrás referidas, sempre com a ideia de pontuar o espaço com informações e elementos que remontam à memória e identidade da antiga fábrica de sedas.

Cliente: Martifer     Ano de projecto: 2006     Ano de conclusão: 2007     Área útil: 4000m2     Especialidades: Iperforma (coordenação); Cristiana Pascácio (sinalética e logos); Drª Maria da Luz (Museu da Ciência e Indústria)

Loja Glow-Porto

O conceito da proposta para os interiores da loja feminina Multi – Marcas “GLOW”, tem como base um contexto temporal balizado num determinado período de tempo entre o imediato do pós-guerra e os anos 60, altura em que a mulher procura aproximar-se de um “glamour” por ela tão desejado, muito influenciado com o surgimento da televisão, nomeadamente pela influência de filmes através das suas estrelas televisivas.

É neste conceito que surge a imagem interior do espaço, muito ligado ao Design dos anos 50/ 60 preponderante para identificar facilmente a marca da loja recorrendo a linhas curvas, brilho, cor, personalização de mobiliário e inovação. Podemos observar tais conceitos com os remates da paredes/tectos/pavimentos, reflexos induzidos pela introdução de materiais reflectantes, o mobiliário que permite a sua mobilidade e por conseguinte a alteração da loja, e, por fim toda a sua iluminação e presença de um tapete rolante para a exposição dos artigos com o intuito de contrariar o efeito estático que muitas lojas do género têm.

Cliente: Proteína Design / Grupo Brodheim Ano de projecto: 2007 Fase: Estudo prévio

Restaurante Sea Me Peixaria Moderna

O Restaurante SEA ME - Peixaria Moderna foi inaugurado no dia 16 de Novembro de 2010. Está situado no coração da cidade de Lisboa, na Rua do Loreto nº 21, junto ao Largo de Camões.

O Sea Me tem uma cozinha baseada nos pratos de peixe e marisco da gastronomia Portuguesa, paladares que são complementados com os da gastronomia Japonesa num conceito de fusão de sabores, que aposta na qualidade dos produtos servidos e na empatia dos seus empregados. O projecto tem a sua inspiração na reinvenção da imagem das tradicionais Peixarias de Bairro, marcadas pelo seu ar industrial, pelas suas bancadas de peixe em inox e balcões em pedra Lioz. 

Cliente: Laboratório dos Sabores, Lda.     Ano de projecto: 2010     Fase: Concluido

Clínica Portobello-Samora Correia

O programa definido para a Clínica Portobello pretende complementar a área de Dentária, a da requerente, com as de Ginecologia, Psicologia e Pediatria, formando um espaço dedicado à Saúde que sirva a população local e de proximidade. A imagem arquitectónica é marcada na recepção pelo recurso a painéis de cor com o logótipo, pelo pavimento de cor preta, e faixas de iluminação no tecto e pelo balcão e parte de trás da recepção com as suas caixas retro-iluminadas, com imagem. Para os gabinetes propôs-se uma imagem sóbria dominada por uma parede com cor e sanca de luz indirecta no topo da mesma, solução que permite distinguir as várias salas, sendo que no gabinete de Pediatria esta solução é complementada por padrões infantis em vinil sobre a pintura. Para o mobiliário propôs-se o lacado alto brilho a branco, inox em bancadas e vidro fosco em paredes e portas.

Cliente: Gloarte     Ano de projecto: 2008     Fase: Estudo prévio, licenciamento, execução

Restaurante Imperator-Oeiras

O programa do cliente reflectia um conceito de Restaurante “ao peso” com linha de self-service e com uma lotação entre 70 e 80 pessoas no interior do Restaurante. A cozinha deveria ter o conceito show-cooking.

A proposta para o restaurante contemplou estes parâmetros na organização do layout. Tirou-se partido do grande envidraçado e da sua relação com os jardins no exterior para ter muita luz natural no interior. Para a parte interior do espaço foram previstos os espaços técnicos do Restaurante, nomeadamente, armazém, instalações sanitárias, vestiários e escritório. Junto à sala de refeições temos a cozinha e copa.

No interior foram utilizadas três cores, o cinzento, cor do pavimento e de parte do mobiliário, o branco em paredes e o vermelho em alguns apontamentos como a sanca e a zona de pagamento. 

As paredes foram decoradas com algumas receitas que serão servidas no Restaurante e numa das paredes existe um apontamento cromático com o logótipo do Restaurante.

Cliente: Receita Ínfalivel, Lda Ano de projecto: 2008 Fase: Obra concluída

 

Centro Comercial Apolo 70-Lisboa

Situado na Av. Júlio Dinis, próximo do Campo Pequeno, o Apolo 70 foi o primeiro Centro Comercial de Portugal, abrindo em 1970. Conhecido pelo seu Cinema, Gelados e Livraria, entre outros, o Apolo foi decaindo com o tempo com a falta de renovação e a introdução da concorrência de novos espaços comerciais. O espaço apresentava-se antes da intervenção com uma imagem desactualizada e bastante discreta. Optou-se por criar uma linguagem marcadamente mais forte e jovem, recorrendo ao uso de cor e de formas curvas. A intervenção foi faseada tendo sido iniciada pela renovação das instalações Sanitárias. A 2ª fase de obras incidiu nos espaços de circulação e de estar do Apolo. A inspiração foram os padrões dos anos 70 e a sua utilização de cor. Todo o pavimento foi renovado com este tema, revelando faixas de curvilíneas de dimensões variáveis que “ondulam” pelo espaço. Na parte central do Apolo o antigo Quiosque foi retirado, tendo a loja de chocolates e de Lotaria sido reposicionadas. A anulação de um dos lanços de escada permitiu criar uma praça de Restauração nesta zona central do Centro. Esta praça é dominada pelo Candeeiro sobre a escada de acesso ao piso -1, que segue a inspiração do pavimento, tendo-se utilizado faixas de gesso cartonado e de tecto translúcido.

Cliente: Copeve S.A. Ano de projecto: 2009 Fase: Obra concluída